O PETRÓLEO DA NOSSA TERRA

Jorge Machado
6 de junho de 2012
Jorge Machado
O potencial progresso de um povo, está sempre pendente de múltiplos factores, destacando-se: A situação geográfica e os recursos naturais, a criatividade, a perspicácia e a sensibilidade não só de quem governa esse povo, mas também de todos os agentes envolvidos na nobre missão de fomentar o bem-estar através de actos positivos.
O potencial progresso de um povo, está sempre pendente de múltiplos factores, destacando-se: A situação geográfica e os recursos naturais, a criatividade, a perspicácia e a sensibilidade não só de quem governa esse povo, mas também de todos os agentes envolvidos na nobre missão de fomentar o bem-estar através de actos positivos entre os quais: o incremento de dinâmicas no sentido de que as dádivas da natureza sejam exploradas e transformadas em riqueza para que na actual conjuntura a vertente económico financeira de uma região seja sempre um factor em evidência.
Esta introdução vai obviamente de encontro ao espírito que tem envolvido os nossos Festivais da Cereja.
Nos passados dias 02 e 03 de Junho, a nossa Vila foi de novo invadida por mais um banho de multidão entusiástica em busca do nosso recurso natural – a bela e apetitosa cereja de Resende –. Em dois dias, eis que ficamos sem muitas toneladas daquilo a quem já apelidei em termos financeiros “ O petróleo da nossa terra “, pois todos os anos, contabilizam-se muitos milhares de €uros, vindo equilibrar “ e de que maneira” a economia local que tanto precisa deste tipo de eventos.
Este ano, a festa teve um sabor muito especial, porque tivemos o privilégio de termos entre nós a figura do nosso futuro 1º ministro de Portugal - António José Seguro – que, com o Presidente do Município Eng.º António Borges, tiveram a gentileza de nos brindar com a inauguração de mais uma preciosa peça da nossa Epopeia - O Parque Urbano. Esse acto, marcou um dos pontos mais altos da nossa festa; digamos que foi um momento histórico e de grande emoção ao qual o herói colectivo se associou entusiasticamente; foi a cereja rainha de todas as cerejas…
Vendido que foi o ultimo” barril”, podia ler-se na cara dos produtores/vendedores uma enorme satisfação, por terem mais uma vez escoado todo o seu produto; mas também era patente no seu olhar, uma expressão de agradecimento a toda a equipa que compõe o Partido Socialista local, pois eles sabem muito bem que foi graças à imaginação e à perspicácia do seu estratega, que o levou a instituir este festival e a partir daí, a nossa cereja passou não só a ser muito mais procurada mas também a levar bem longe o nome da nossa terra, sendo hoje uma das nossas principais embaixatrizes além-fronteiras. Foi uma pena que o “PSD” local nunca se tivesse lembrado deste “filão” durante os 26 anos que esteve á frente da autarquia. Não admira, porque já havíamos constatado que se esqueceram de muita coisa importante. Cá estamos nós, o Partido Socialista, para colmatarmos as suas lacunas como tem sido hábito nesta última década.
Para finalizar e em nota de rodapé, permitam-me que endereça os parabéns à Organização do desfile temático, aos Professores envolvidos e um sublinhado muito especial às nossas crianças, que debaixo de um calor extenuante, emprestaram a sua beleza aos também belos carros alegóricos muito apreciados pela multidão que se estendeu ao longo das nossas ruas, não se cansando de disparar o seu flash fotográfico, exprimindo também o sentimento de mais um sucesso que será repetível certamente nos anos que hão-de vir.
Viva a Cereja e os seus produtores. Viva Resende. Viva Portugal
O Militante
Jorge Machado – 05-06-2012

Adicionar comentário

Subscreva as Newsletters
Facebook