Comissão Nacional do PS na Nazaré

António Borges
26 de maio de 2012
Comissão Nacional do PS na Nazaré
Comissão Nacional do PS na Nazaré
Comissão Nacional do PS na Nazaré
O Governo é ... sim,senhora Merkel!
A intervenção de Antonio José Seguro foi muito elucidativa e importante. Deixo alguns pontos da sua intervenção.
O PS a voar novamente enquanto o Governo de Direita estatela o pais.

- É a quarta reunião da CN em oito meses fora de Lisboa.
- A semana que está a findar deu uma grande relevância à estratégia do PS.
- Não foi depois das eleições francesas que começamos a falar da saída para a crise, na adenda, no crescimento e no emprego.
- É preciso honrar o memorando para manter a credibilidade externa, mas não obriga a concordar com a estratégia errada que o Governo tem aplicado no pais.
- A austeridade a qualquer preço é um erro.
- O desemprego é o principal problema por isso deve ser a principal prioridade.
- É preciso mais tempo para fazer a consolidação.
- Estava previsto um crescimento na zona euro de 2% que afinal se situa nos 0% e o ajustamento previsto no memorando de 5.000 milhões de euros vai ser o dobro.
- A adenda ao Pacto Orçamental apresentada pelo PS tem medidas concretas e é um primeiro passo.
- Se há financiamento para salvar os bancos porque não há para o emprego e para as empresas que não têm acesso ao crédito?
- Em Setembro passado o BEI foi confrontado com a possibilidade de injectar 5.000 milhões de euros na economia, oferecendo como colateral fundos comunitários.
- A proposta de recapitalizar o BEI no âmbito da adenda.
- A proposta dos eurobonds e dos project bonds.
- O Parlamento Europeu aprovou esta semana a taxa sobre transações financeiras, que tem um valor estimado de 60.000 milhões de euros.
- Há cerca de 80.000 milhões de euros por aplicar na Europa de fundos estruturais.
- Estas verbas deveriam ser aplicadas no emprego e na dinamização da economia, nomeadamente no emprego jovem e nas PME'S, na energia, nas renováveis ou em projectos transeuropeus.
- Há evidentes desequilíbrios com países como a Alemanha a financiarem-se a menos de 1%, se estamos numa união económica e monetária, quando outros o fazem a valores muito superiores.
- A resposta deve ser comum e não o salve-se quem puder, impondo- se um papel mais activo do BCE.
- O PS apresenta propostas. O Governo é ... sim,senhora Merkel!

António Borges

Nazaré, 26 de Maio de 2012

Adicionar comentário

Subscreva as Newsletters
Facebook