25 de ABRIL de 2012 “A DESESPERANÇA”

António Silvano
25 de abril de 2012
Silvano Moura
Silvano Moura

38 Anos após o 25 de Abril de 1974 e depois de em todos estes anos terem sido criadas reformas estruturais, medidas e condições que foram melhorando o nível de vida e o bem-estar de Portugal e dos portugueses

ESTAMOS A CHEGAR A 25 DE ABRIL DE 2012, INTEGRADO NUM PERÍODO NEGRO PARA A INDEPENDÊNCIA E A DEMOCRACIA DE PORTUGAL

38 Anos após o 25 de Abril de 1974 e depois de em todos estes anos terem sido criadas reformas estruturais, medidas e condições que foram melhorando o nível de vida e o bem-estar de Portugal e dos portugueses

ESTAMOS A CHEGAR A 25 DE ABRIL DE 2012, INTEGRADO NUM PERÍODO NEGRO PARA A INDEPENDÊNCIA E A DEMOCRACIA DE PORTUGAL

-com um governo (PSD/CDS) QUE NÃO TEM CORAÇÃO NEM TEM ALMA que tem ao seu leme um primeiro-ministro, “criado” e “amamentado” ao longo de anos na incubadora do grande capital nacional e internacional, por forma a que quando chegasse ao poder (e chegou), implantasse uma política neoliberal, que tivesse como fim o fortalecimento dos mais ricos e a dizimação dos demais, incentivando o enfraquecimento de tudo o que fizesse lembrar um estado social e solidário e

PARA ATINGIR ESSE OBJECTIVO ESTÁ A FAZER UM AJUSTE DE CONTAS COM O 25 DE ABRIL DE 1974:
- lança um ataque cerrado aos direitos de cidadania dos portugueses, acabando com tribunais e Juntas de Freguesia;
- faz um assalto ao Serviço Nacional de Saúde, com aumento das taxas moderadoras, encerramento de urgências de Centros de Saúde e de Hospitais, preparando-se até para encerrar a melhor e mais bem conceituada maternidade do país;
- corta os direitos adquiridos dos trabalhadores, designadamente, os subsídios de férias e de natal;
- reduz o plano de vacinação que tornou Portugal num país com um nível de mortalidade infantil dos mais baixos do mundo civilizado, retrocedendo, com a redução implementada, aos anos sessenta/setenta;
- cria dificuldades no acesso às bolsas para estudantes universitários que, segundo diz a própria organização da igreja católica, faz correr o risco de se tornar a universidade num exclusivo das elites económicas;
- transforma os equipamentos sociais em fontes de rendimento para os privados;
- torna os ricos mais ricos e os pobres mais pobres, acabando com a classe média;
- aumenta o desemprego para níveis nunca antes vistos, deixando os portugueses na penúria, a roçar os níveis da miséria;
- implementa medidas de austeridade que estão para além das exigidas pelo FMI;
- transforma Portugal num país de depressão coletiva; e
- aconselha os portugueses a emigrarem para o estrangeiro à procura de trabalho.

Comparando-se o período desde a chegada deste governo ao poder com todos os períodos que se viveram com outros governos depois de 25 de Abril de 1974, verifica-se que se não fossem as infraestruturas, porque físicas se mantêm como indestrutíveis e os limites da liberdade de expressão que, para já, ainda não estão ultrapassados, em tudo o mais, com o governo que temos e com as suas medidas, algumas acima enumeradas e ainda outras de estrangulamento do crescimento económico, do desenvolvimento e do emprego, diria que ESTAMOS A CORRER O SÉRIO RISCO DE VOLTAR A ANTES DO 25 DE ABRIL DE 1974.
…......
ACORDEM CAMARADAS E AMIGOS E GRITEM DE NOVO BEM ALTO!!!!!
O POVO UNIDO JAMAIS SERÁ VENCIDO!
Viva o 25 de Abril de 1974.... VIVA UM PORTUGAL LIVRE, SOLIDÁRIO E JUSTO.

(António Silvano de Moura – Militante Socialista)

Adicionar comentário

Subscreva as Newsletters
Facebook